quinta-feira, 11 de fevereiro de 2016

CORONEL MELLO MATTOS



Cristovão Colombo de Mello Matos, filho de Carlos Esperidião de Mello Mattos e Maria Cristália de Albuquerque de Mello Mattos nasceu em 17 de fevereiro de 1873 no estado de Minas Gerais. Foi admitido no Exército Brasileiro como soldado em 1890. Por bom desempenho suas funções, foi admitido na Escola Militar da Praia Vermelha de onde saiu com o posto de Alferes da Arma de Cavalaria em 01 de março de 1901. Promovido a segundo-tenente em 1907 e a primeiro-tenente no ano seguinte.  A capitão em 1917 e a major em 1920. Em 1923 atinge o posto de tenente-coronel. Serviu, entre outras unidades, no 2º Regimento de Cavalaria, Corpo de Alunos da Escola Militar do Realengo, 9º Regimento de Cavalaria e ainda comandou o 5º Corpo de Trem da 3ª Região Militar.

Na Revolução Constitucionalista de 1932 teve importante participação. Já na reserva do Exército ofereceu seus serviços ao comando revolucionário por intermédio do amigo de longa data General Isidoro Dias Lopes que redigiu a seguinte carta:

“General Klinger – Cordiais Saudações – Apresento-lhe o coronel Cristovão Colombo de Mello Mattos.

Sua fé de ofício para o presente momento é esta: desde que São Paulo, há já mais de um ano, começou a ser humilhado, espezinhado e saqueado pelos asseclas da ditadura, Mello Mattos, com dedicação sem par, ao meu lado e ao lado do maior animador da resistência em defesa de São Paulo – bravo Coronel Theopompo – foi um emérito lutador que não poupou e não poupa sacrifícios em prol da causa que defendemos. Para ele não peço reparação, nem prêmio, porque disso ele não cuida, mas simplesmente uma missão, um posto, um serviço qualquer de utilidade a nossa causa.

Com maior estima, o camarada e amigo general Isidoro”

General Isidoro Dias Lopes - Generalíssimo da Revolução de 32


O General Klinger concedeu-lhe então o comando da Praça de Santos (Setor Litoral) em substituição ao General Brasilio Taborda então nomeado comandante do Setor Sul.

General Bertholdo Klinger - Comandante das operações militares da Revolução de 32


O coronel Mello Mattos comandou a Coluna Mello Mattos composta pelas seguintes unidades: Companhia Isolada do Exército de Santo Amaro, Batalhão Ferragista, Guarnição do Forte de Itaipú e homens do Tiro Naval de Santos.

Entregou para a campanha “Ouro Para a Vitória” seu relógio de ouro Patek Phillippe que foi rifado em 100 bilhetes de 50 mil réis cada, contribuindo assim materialmente para o esforço de guerra paulista.  

Relógio Patek Phillippe semelhante ao doado pelo coronel


Faleceu em 26 de julho de 1955.

O Decreto Estadual 40.329 de 5 de julho de 1962 autorizou a transferência dos restos mortais do coronel Mello Mattos para o Mausoléu do Soldado Constitucionalista do Ibirapuera.


Referências

Jornal Folha da Noite de 17 e 22 de julho de 1932

Arquivo Histórico do Exército


www.patek.com





Nenhum comentário:

Postar um comentário